Enfin disponible en France, grâce à une étonnante formule France, 100% naturelle, vous pouvez maintenant dire stop à vos problèmes d’impuissance et à vos troubles de la virilité. Cette formule révolutionnaire agit comme un véritable achat levitra naturel. Ses résultats sont immédiats, sans aucun effet secondaire et vos érections sont durables, quelque soit votre âge. Même si vous avez plus de 70 ans !

Neurocisticercose (cid10)

NEUROCISTICERCOSE
Trata-se da infestação do sistema nervoso central por embriões da Taenia solium (lombriga solitária). Estes embriões, chamados cisticercos, podem se localizar dentro do crânio, ou nos espaços liquóricos ou dentro parênquima nervoso. A infestação inicia por ingestão de ovos da Taenia de alimentos contaminados. No estômago os ovos atravessam a parede gástrica e penetram na circulação sangüínea. São então distribuídos para todo o organismo, inclusive o sistema nervoso central. Aí, os ovos podem ser eliminados ou se desenvolver até cisticercos. Se localizados nos espaços liquóricos (ventrículos, cisternas, espaço subaracnóideo) desenvolvem a forma racemosa (C.racemosus). Se dentro do parênquima, transformam-se em um pequeno cisto com um escólex rudimentar (C.celullosae). A infestação neurológica pode ser única ou se apresentar com um número variável de cisticercos. A reação do hospedeiro, no caso o sistema nervoso central, pode ser mínima e então o cisticerco pode durar indefinidamente e até atingir tamanhos consideráveis. Mas, na maioria das vezes, existe uma reação formando-se nódulos inflamatórios que podem evoluir para o desaparecimento do cisticerco ou transformá-lo numa calcificação residual. Todo este processo pode ser fazer de maneira assintomática ou apresentar manifestações exuberantes como convulsões, hipertensão intracraniana, reações meníngeas, sinais neurológicos difusos ou localizatórios. Assim sendo, o quadro clínico da neurocisticercose é muito variado. Formas assintomáticas existem, não sendo possível estimar a sua incidência; neste caso a neurocisticercose é descoberta ao acaso, com a presença de calcificações nos exames de neuro-imagem. A epilepsia é a manifestação clínica mais comum, geralmente do tipo parcial. Hipertensão intracraniana é outra forma de apresentação, devida a edema cerebral inflamatório, ou formas pseudotumorais, ou hidrocefalia ou associação destes mecanismos. Síndrome meníngea subaguda pode ocorrer. Distúrbios psíquicos são variados, como alterações comportamentais e déficit cognitivo progressivo. Raramente os cisticercos atingem a medula espinhal levando a déficit motor e sensitivo de membros inferiores. O diagnóstico de neurocisticercose obedece a critérios absolutos pela OPAS/OMS. Como critérios absolutos estão a demonstração histológica do parasita, sua visualização no exame de fundo de olho e a presença de lesões características na neuro-imagem (cistos com escoléx). Critérios maiores são as lesões radiológicas sugestivas, testes imunológicos positivos para a detecção de anticorpos anticisticercóticos. Critérios menores e dados epidemiológicos completam a relação de dados para o diagnóstico. São, portanto, importantes os seguintes exames complementares: tomografia computadorizada de crânio sem e com contraste, ressonância magnética do crânio, líquido cefalorraquiano com reações imunológicas específicas. No caso de suspeita de infestação no canal vertebral e na medula, os exames de neuro-imagem deveram ser dirigidos a esta localização. O tratamento da neurocisticercose pode ser sintomático ou específico, clínico ou cirúrgico.
A abordagem cirúrgica está indicada em algumas situações seja para a exerese de lesões
expansivas, para retirada de cisticercos dentro dos ventrículos ou espaço subaracnóideo ou
derivações ventriculares nas hidrocefalias. As formas epilépticas devem ser controladas
com a medicação antiepiléptica convencional. O uso de corticoides como a dexametasona
ou prednisona pode se fazer necessário, durante período variável para o tratamento do
edema cerebral inflamatório. Os parasiticidas são utilizados para tratamento específico do
cisticerco; preferencialmente albendazol 15 mg/kg/dia por 8 dias ou o praziquantel 50
mg/kg/dia por 21 dias como segunda opção. Os parasiticidas podem ser repetidos se
necessário, há outros esquemas que podem ser utilizados e não são eficazes em todos os
casos.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Melo-Souza S E. Neurocisticercose. In: Melo-Souza S E. Tratamento das doenças
neurológicas. Ed. Guanabara Koogan 2000. Pp 13-15.
Takayanagui O M, Jardim E. Therapy for neurocysticercosis: comparison between
albendazole and praziquantel. Arch Neurol 1992; 49: 290-294.
Del Brutto O H et al. Proposed diagnostic criteria for neurocysticercosis. Neurology 2001:
57: 177-183.

Source: http://www.neurologico.com.br/neurologico2009/saiba_mais/Neurocisticercose1.pdf

Easst2010

TECHNOLOGY, INNOVATION AND IMAGES OF HEALTH AND AGING Background Demographic aging is among the most striking societal changes advanced societies facetoday. It is clear that aging poses social care and public health systems with severechallenges, but also that aging market places ask for changes in current practices oftechnology and innovation. Older adults will become an increasingly importan

生物化学教室コロキウム

分子細胞生物学研究所セミ ナー 演者 Bonita J. Brewer 博士 Department of Genome Sciences, University of Washington 演題 The Evolution of Replication Origins and Genome Architecture. 日時 11 月 1 日 ( 月) 14: 00~15: 00 場所 東京大学分子細胞生物学研究所 セイ ホク ギャ ラ リ ー ------------------------------------------------------

Copyright © 2010-2014 Online pdf catalog